Número total de visualizações de página

domingo, 27 de dezembro de 2009

Os mortos

Amo os meus mortos
Quase tanto como os vivos.
Os primeiros dão-me paz
Os segundos, vigor e alento.
No Natal estou com todos.
Por uns rezo,
Aos outros, alimento.
A vida faz-se com ambos,
Até que a morte nos leve
E nos junte aos que já foram.
Para com eles cuidar
Da vida dos que aqui ficam,
A lembrar os que partiram!

Helena